Total de visualizações de página

sábado, 8 de julho de 2017

VOCÊ CEDE SEU ASSENTO PARA OUTRO PASSAGEIRO?

Essa é uma pergunta que muita gente já presenciou dentro de aeronaves.
O que fazer?
Bem, eu sou um cara dito como chato, para mim, apenas planejo bem as viagens, marco meu assento de preferência, conforme a aeronave, chego cedo para check in, enfim, tento fazer tudo certo para ter uma viagem menos desagradável possível.
Certa fez, tive que fazer uma viagem em cima da hora, a programação em razão de feriado local mudou e aulas que iria ministrar em outra cidade em um curso de pós-graduação foram antecipadas em uma semana.
Marco sempre, quando disponível, assento na saída de emergência, maior espaço e sempre no corredor, mas desta vez, não havia lugar disponível no voo de ida e tive que marcar em espaço normal, ou seja, espaço para sardinhas em lata.
No check in ainda perguntei se tinha assento com mais espaço disponível, mas a resposta foi negativa.
Sendo o que tinha, assim fui.
Embarquei por primeiro e bem depois chegou um casal, com uma criança de aproximadamente uns 10 anos. A mulher já chegou abalada. Marcaram assentos separados, foi viajar longe da minha família.
Para a minha desgraça, eu estava no corredor, o filho da cidadã na janela, ela no meio e na fileira ao lado, o marido no meio.
A comissária informou que terminando o embarque teria reacomodação.
Voo lotado, nenhum assento disponível.


Terminada a bagunça, que dificuldade e demora esse povo tem para embarcar, lá vem a comissária da LATAM para mim: Senhorrrrrrrrrrrrrrrr, há possibilidade de troca de assento, para a família viajar juntos? Disse-lhe de imediato NÃO! Mas Senhorrrrrrrrrrr. NÃO.
O cara do lado do marido no corredor, também não quis trocar.
A simpática comissária falou: Lamento, vou ter que chamar o apoio de terra para reacomodar essa família, e o voo atrasará. Respondi, ótimo, adoro ficar em avião.
E fala de lá, fala de cá, a família me olhando, como se estivessem vendo o demónio em pessoa, mas mantive minha posição.
Acho pura falta de planejamento, ora, em qualquer companhia brasileira, se pode marcar assento quando se faz a compra de forma gratuita (salvo os espaços especiais). 
Como uma família viajando não providenciou a marcação? Não falaram no check in???
O voo não atrasou nada e partimos, senti olhares fulminantes, indiretas, mas assim que decolamos, abri o laptop e comecei a trabalhar, bem como coloquei fone de ouvido e fui ouvindo música.
Depois até pensei, será que fui muito rude, será que deveria ter cedido meu lugar e ir mais apertado ainda na poltrona do meio?
Ao final, creio que agi certo.
E você o que faria nessa situação?

Nenhum comentário:

Postar um comentário